Exclusivo: Edomir de Oliveira

Escrito por Mhario Lincoln. em: 09/03/2015 | Atualizado em: 09/03/2015

Compartilhe

"A linha da Vida, seria?"


(*) EDOMIR MARTINS DE OLIVEIRA

-Moço, ouvi uma voz infantil e me chamar, por favor, desenhe uma linha para mim, daquela que minha mãe faz costura, disse-me a criança.
O meu pensamento voou para “O Pequeno Príncipe” onde Exupery conta que uma criança pedia: “desenhe um carneiro para mim”.
Confesso que fiquei em apuros. Não sei desenhar absolutamente nada. Aliás se eu dependesse de desenho para sobreviver acredito mesmo que teria sido muito mal sucedido.
Mas, era uma criança pedindo meigamente: desenhe uma linha para mim.
Fiz um esforço sobre-humano. Tracei um rabisco com o lápis na folha de papel que a menina exibia e ela feliz disse: obrigada. Era isto mesmo que eu queria, confessou ela para meu espanto.
E virando-se a criança para a mãe acrescentou, mãe essa é a linha que você usa nas suas costuras.
È impressionante como o olhar puro de uma criança vê as coisas do seu desejo e mais do que isso, como que entendendo as limitações dos seus semelhantes, ainda se dá por satisfeita com o que lhe foi entregue como objeto do que solicitou, ficando ainda muito agradecida e feliz.

Era mais um dia comum na vida de advogado.
O episódio aconteceu quando estava a visitar a 6ª. Vara Cível da Capital em busca de noticias acerca de alguns processos aos cuidados do meu escritório, quando de repente escutei novamente a voz da criança, talvez de uns oito (6) anos de idade, que me chamava:
-Tio eu também vou ser advogada quando crescer.
-Toda vez que minha mãe vem a esta casa eu faço questão de vir com ela. Não entendo bem dessas coisas, mas parece que eu nasci para isto. Gosto de ouvir as palavras direito e justiça.
-Na escola faço meus deveres escolares, escuto as aulas da professora e recebo seus elogios. Moço isso é direito e justiça?
Segurando sua tenra mãozinha, uma senhora dizia para a criança:
-Não perturbe o advogado deixe ele examinar o processo que tem em mãos.
Ao que eu me concentrando na criança, feliz da vida por aquela interrupção, respondi:
-Não tem importância senhora deixe a criança externar seus nobres pensamentos.
A criança de cabelos loiros e olhos azuis olhou-me com profundo amor e me disse:
-Muito obrigada.
O Direito e a Justiça caminham assim: de mãos dadas, pois enquanto o Advogado sai em busca do Direito em defesa dos interesses dos seus clientes o Juiz, zelosa e atentamente, a tudo analisa para aplicar a Justiça.
Verdade é que direito e justiça caminham de tal forma juntos que a sociedade jamais viveria tranqüila se não tivesse os seus direitos respeitados.
Tinha razão a criança.
Na sua inocência, sem saber fazer a distinção, tinha ela um direito: o de fazer seus deveres e escutar as lições ministradas. A justiça estava sendo aplicada quando a professora fazia elogios ao seu aproveitamento e comportamento. E isso gerou na criança um estímulo.
Ela na sua inocência não entendia onde começava seu direito e até onde se estendia a justiça.
Mas, a sua sensibilidade de criança sentia que havia algo muito proveitoso para sua vida.
A sua genitora por seu turno mostrando-se sensível ao diálogo da filha concluiu: essa menina se apaixona muito fácil.
Diz-nos o escritor Mhario Lincoln em seu livro “Guia do Extraordinário poético no Twiter” que “para os apaixonados, a menor distância entre dois pontos não é uma reta, mas o coração”.
Com certeza foi essa reta do coração que me aproximou daquela menina.
Encantou-me o seu modo carinhoso de aproximação inocente e deu-me um belo exemplo de iniciação de diálogo.
E eu, atento a lição de Jesus Cristo sobre o “deixai vir a mim as criancinhas”, ao dizer à mãe que ela era muito bem-vinda, aceitei aquela nova amizade e guardei-a no recôndito do meu coração.

 

 

(*) EDOMIR MARTINS DE OLIVEIRA é escritor, ex-presidente e membro do IHGM, pesquisador literário e professor universitário aposentado.

Comentários  

+1 #6 agradecimentoEdomir M.de Oliveira 09-03-2015 22:00
Agradeço de todo coração aos ilustres leitores que me honraram com os seus comentários, todos muito generosos. Deus tenha a todos aos seus cuidados. Muito obrigado.
Citar
0 #5 LindoMarluce Coutinho 09-03-2015 19:49
Quanta graça, beleza, eficiência, ideias maravilhosas transformadas em beleza de estilo poético. Estou maravilhada meu grande professor pelas palavras aqui publicadas. A deusa Themis agradece. Lembra quando o senhor falava muito da deusa Themis. Quem sabe não será a menininha uma nova deusa Themis?
Feliz em ver algo tão bonito no meio de tantas crianças que passam fome, são direcionadas para as drogas e nada podemos fazer.
Mas a graça de Deus fará com que essa menininha, como advogada, irá, sem dúvida, levantar a pena da Justiça em nosso sofrido Maranhão.
Caro professor Edomir Oliveira, receba meu abraço e da minha família.
Marluce Coutinho, maranhense de Guimarães-Ma.
juíza de Direito aposentada
Rio de Janeiro-RJ
Citar
0 #4 Só para lembrarDe Castro, da IURD 09-03-2015 19:41
Pastor Edomir, só pra lembrar.
Um dos aspectos mais interessantes desta história são os contrastes entre o caráter de Samuel, o filho de Ana, e o caráter de Finéias e Ofni, que eram filhos de Eli. Eli era líder em Israel.
Que pecados os dois filhos de Eli cometiam? 1 Sam. 2:12-17, 22
Os filhos de Eli usavam seu ofício como sacerdotes para satisfazer suas cobiças e paixões. A Bíblia mostra que Eli os reprovava (1 Sam. 2:22-25). Mas a punição de Eli veio muito tarde. O Senhor advertiu Eli de que sobreviria um grande castigo a ele e a sua família por causa de seus filhos. Deus deu a primeira profecia sobre este assunto a Samuel.
O Senhor castigou Eli pelos pecados de seus filhos. O que este fato revela sobre a responsabilidade de um um pai? Filhos rebeldes sempre são devidos à fraca educação dada pelos pais? Leia 1 Sam. 3:11-14
Citar
0 #3 Amém?Irmã em Cristo 09-03-2015 19:38
Presbítero Edomir,
"Até a criança se dá a conhecer pelas suas ações, se o que faz é puro e reto." Provérbios 20:11
A história bíblica mostra a influência que as crianças podem ter para o bem ou para o mal. Por sua vez, a influência que os adultos têm sobre as crianças faz uma diferença muito grande no tipo de adultos que estas vão se tornar. Como é importante que as crianças recebam o preparo correto. Jesus nasceu como uma criança dependente. José e Maria deram a Jesus um bom lar em que crescer. Leia Lucas 2:52. Como adulto, Jesus sempre trabalhou para atender às necessidades das crianças. Tendo sido Ele mesmo uma criança, Jesus podia relacionar-Se com os jovens que Lhe traziam.
"O reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas" (NVI). As mães hebréias trouxeram seus filhos para serem abençoados por Jesus. Os discípulos tentaram afastá-los. Mas Jesus impediu Seus discípulos de fazerem isso.

Lúcia de Freitas
Citar
0 #2 A força da canetaA força da caneta 09-03-2015 19:31
"O Direito e a Justiça caminham assim: de mãos dadas, pois enquanto o Advogado sai em busca do Direito em defesa dos interesses dos seus clientes o Juiz, zelosa e atentamente, a tudo analisa para aplicar a Justiça.
Verdade é que direito e justiça caminham de tal forma juntos que a sociedade jamais viveria tranqüila se não tivesse os seus direitos respeitados.
Tinha razão a criança.
Na sua inocência, sem saber fazer a distinção, tinha ela um direito: o de fazer seus deveres e escutar as lições ministradas. A justiça estava sendo aplicada quando a professora fazia elogios ao seu aproveitamento e comportamento. E isso gerou na criança um estímulo."
Esse trecho me fez chorar...
Maria Antonia Nina dos Santos
Citar
0 #1 ChoreiEdomir 09-03-2015 19:30
Antes de mais nada, Edomir, que belo texto. Uma expressão infantil da benção de Deus. Você, amigo, é um iluminado pela força do Espirito Santo.
Messias
SL-MA
Citar