Você conhece bem seu cão?

Escrito por Mhario Lincoln. em: 27/03/2015 | Atualizado em: 28/03/2015

Compartilhe

Exclusivo

Por José de Oliveira Ramos

(O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. )

 

 

 

 

 

Não existe cão feio – existe animal maltratado
Um cão é um amigo. Se você o trata bem e o compreende, ele jamais vai fazer algo errado. Claro que, nesse contexto, tem quem exagere e passe a tratar o “animal” como se fora um humano. Isso não é bom. Para compreendê-lo e trata-lo bem, não precisa fazer dele p ser humano que ele não é. Se alguém o trata como “cão”, com o carinho que um cão merece, ele ficará satisfeito e será sempre amigo.
Pesquisando na Internet, encontramos essas dicas importantes para uma boa convivência entre o cão e os humanos da casa. Veja:

Doberman – um fera dócil
Assim como nós temos o nosso sistema de comunicação, os cães também se expressam de diferentes maneiras. Para descobrir mais sobre o que seu animalzinho tem a dizer em determinados momentos, confira os significados das atitudes mais comuns dos cachorros.
Você sabe o que o seu cachorro quer dizer quando lambe as suas mãos? Reconhece quando ele está cansado ou nervoso? Entende por que ele, às vezes, uiva no meio da noite ou dá algumas voltinhas em torno de si mesmo antes de deitar? Afinal, você entende as atitudes do seu cão? Entre um latido e outro, alguns comportamentos dos bichinhos de estimação passam despercebidos pelos donos. Porém, em muitos casos, esses gestuais podem expressar necessidades, pedidos e alertas.
Por meio de diversos estudos e análises, alguns profissionais investigam o comportamento canino a fim de desvendar as causas de determinadas atitudes dos cãezinhos. Especialistas em psicologia canina e adestramento de animais desvendaram alguns dos hábitos mais comuns dos cachorros para que você entenda um pouco mais do que o seu fiel companheiro tem a dizer em alguns momentos.
Convidando você para brincar com as patas dianteiras abaixadas - Um convite para uma bela brincadeira: é mais menos isso que seu animalzinho quer dizer quando se inclina sobre as patas dianteiras com a parte posterior do tronco erguida, abanando o rabo sem parar. E o pedido para a diversão pode ficar ainda mais evidente quando ele bate com as patas no chão ou começa a latir, tentando chamar a sua atenção. Afinal, diante de tanto empenho do companheiro para brincar, por que resistir em jogar a bolinha?

A beleza é parte do tratamento e do cuidado
Cheirar outros cães ou a mão de uma pessoa antes de deixar fazer carinho - O olfato dos cães é tão poderoso que equivale à visão humana. É um sentido tão importante na espécie que, ao nascer, os cães encontram as mamas da mãe para se alimentar através do faro, antes mesmo de abrirem os olhos. Com um olfato com mais de 200 milhões de receptores (cerca de 40 vezes mais do que os seres humanos), nada mais justo que os cães usem esse sentido também para outros fins: é com o faro que eles reconhecem as pessoas e até outros cães. Por isso, quando você conhece um novo bichinho, é comum que ele cheire você antes de se deixar receber carinho ou passe algum tempo cheirando o corpo de outro animal (desconhecido para ele ou não) para se familiarizar.
Dar voltas em torno de si mesmo antes de dormir - Antes de dormir, os cachorros costumam dar pequenas voltas em torno de si mesmos (às vezes chegam até a arranhar os locais em que vão se deitar com as unhas). Esse hábito peculiar é um resquício da era selvagem pelas quais os antepassados dos cãezinhos de hoje viveram. Naquele tempo, os cachorros do mato precisavam amassar e afofar bem a grama ou terra sobre a qual deitavam, para que a cama “improvisada” ficasse mais confortável e sem fiapos durante a noite de sono. As voltas que eles dão em torno de si mesmos orientam as direções norte ou sul.
Virar a cabeça e as orelhas para o lado - Já reparou quando o seu cãozinho inclina a cabeça para o lado e faz uma expressão de dúvida? Esse gesto pode ser bem mais que apenas uma posição adorável. Isso geralmente ocorre quando o cachorrinho escutou algum som que chamou atenção, mas foi rápido demais para que pudesse descobrir de onde vinha. Quando o cachorro vira a cabeça e as orelhas para uma determinada direção é porque escutou algum barulho e quer tentar localizá-lo e identificá-lo.

 

O abandono “enfeia” o animal
Os movimentos da cauda - A cauda do cão é similar ao corpo humano: quando estamos felizes, nos movimentamos mais para demonstrar felicidade; quando estamos tristes, é natural que fiquemos um pouco mais curvados e assim por diante. Portanto, preste mais atenção no movimento da cauda do cachorro para descobrir com maior facilidade qual o humor dele. Se o cão estiver com a cauda reta e para cima, ele está em alerta, pronto para uma ação. O famoso “rabo entre as pernas” significa, literalmente, certa submissão em um determinado instante. Agora se a cauda do seu animalzinho não para de se mexer quando ele te vê chegar em casa, é isso mesmo que você está pensando: ele está felicíssimo em vê-lo e quer que você saiba o quão alegre ele está com a sua presença!
Começa a uivar à noite - Você já reparou que quando um cão começa a uivar, outros vários uivam em resposta? O uivo dos cachorros é quase tão contagiante quanto um bocejo nos seres humanos. Mas, ao invés de significar sono ou tédio, serve para comunicar alerta, fome e até desejo. Isso ocorre porque os cães herdaram esse comportamento de seus parentes mais distantes, os lobos - que uivam para reunir a matilha. Portanto, se o seu cãozinho tem uivado bastante, considere analisar se ele não está passando muito tempo sozinho antes de dar alguma bronca.

Deitar de barriga para cima - “Eu me entrego todo a você”: seria mais ou menos essa a frase construída caso fosse possível traduzir em palavras esse gestual dos cães. Em uma briga, por exemplo, quando um cachorro vira de barriga para cima, quer dizer que perdeu e “entregou os pontos”. Já quando o contexto é de brincadeira e o animal te deixa fazer carinho na barriga dele, é bem provável que esteja feliz com a sua presença, querendo lhe agradar e mostrando que tem confiança máxima em você.

O Pit Bull pode ser treinado para o bem e para o mal
Lambidas incomuns - Lamber você é uma das maiores provas de amor de um cão. Porém, em alguns casos, as lambidas podem significar mais do que simples afeto. Quando o cachorro lambe o próprio focinho ou a pata por diversas vezes seguidas, por exemplo, pode significar estresse (essas lambidas podem causar sérios ferimentos). As chances do bichinho estar melancólico e entediado são grandes caso ele lamba a própria cama, chão ou tapete onde deita. Agora se o cão começar a lamber o ar sem explicações ou motivos aparentes, fique alerta: ele provavelmente está com dor em algum lugar do corpo que não consegue identificar.
Enterrando ou escondendo objetos - Por quantas vezes você já se viu dando conta do sumiço de um objeto e, algum tempo depois, o encontrou escondido em um canto qualquer da casa? Esse hábito é comum a cães de todas as raças que, independentemente da idade, parecem voltar a ser filhotes e brincam com objetos de seus donos. Porém, isso é muito mais que uma brincadeira: é um costume herdado dos antepassados da espécie. Devido à escassez de alimento, os cachorros mais antigos precisavam enterrar a comida que sobrava como garantia da próxima refeição (caso não conseguissem caçar uma nova presa).

A beleza e inteligência da raça dálmata
Raspa a grama ou a terra para cobrir as fezes - Quando um cachorro defeca em algum lugar com grama, areia ou terra, é comum que ele encubra as próprias fezes ao terminar de fazer as necessidades. Existem algumas teorias sobre o porquê desse ato. Alguns acreditam que isso funciona como um controle sanitário e que, por instinto, os cães cobririam as fezes para que os demais animais não se contaminem com verminose ou outras doenças que ele porventura venha a ter. Mas existe também outra teoria que defende a ideia de que o cão tem esse comportamento devido aos hábitos de seus antepassados - que camuflavam seus rastros para evitar confrontos com possíveis inimigos.

Comentários  

0 #7 O amor é inerenteJosé de Oliveira Ram 29-03-2015 13:03
Marquinhos, obrigado mais uma vez. Infelizmente, muitos só se apegam ao ditado popular de que, o cão é o melhor amigo do homem. Precisam ter certeza que podem fazer mais. E devem fazer.
Citar
0 #6 Amor de Cão 1José de Oliveira Ram 28-03-2015 16:47
Marquinhos Leite - nada mais me resta a não ser agradecer a leitura do post, e mais ainda o seu generoso e gratificante comentário. Volte sempre, amigo!
Citar
0 #5 Amor de Cão 1Marquinhos Leite 28-03-2015 10:18
Li interessante pesquisa sobre relacionamento Cão x Homem e achei interessante reproduzir aqui.
Marquinhos Leite (dono de 5 cães vira-latas)
Caro Oliveira, os animais domésticos realmente amam seus donos. Experimentos descobriram que os animais liberam o mesmo " hormônio do amor " usado em seres humanos para criar laços com os amigos. Especialistas dizem que ficaram "chocados" com os níveis de ocitocina liberados pelos animais. Foram realizados vários experimentos para medir os níveis de oxitocina, "hormônio feliz" do corpo, liberado quando os animais interagiam com outros animais e seres humanos.
- Recolhemos o seu sangue , misturamos em uma caneta fechada, em seguida, recolhemos o seu sangue novamente para verificar se havia mudanças nos níveis. O experimento colocou um cão de estimação e um bode juntos.
Citar
0 #4 Amor de CãoMarquinhos 28-03-2015 10:17
- O resultado foi muito surpreendente. O cão teve um aumento de 48 %, o que era alto para um ser humano. Mas a resposta do cabra foi incrível - para os seres humanos este era basicamente o amor verdadeiro - comentou Zak.
Segundo o pesquisador, a oxitocina surge para ajudar nas ligações afetivas, e o estudo mostra que os animais domesticados formam ligações e sentem o amor da mesma forma que os humanos. Ele complementou dizendo que apenas os animais que foram domesticados aparentam mostrar essa resposta.
A equipe também disse que só os animais domesticados liberam o hormônio quando estão na companhia de outros animais. E tudo indica que animais mais sociais têm densidades mais elevadas de oxitocina na parte frontal do cérebro. E isto faz com que eles se sintam bem para cooperar.
Citar
0 #3 O amor inerente 2Marquinhos L. 28-03-2015 10:15
Em um segundo experimento, 100 participantes humanos chagaram ao laboratório e deram amostras de sangue para estabelecer seus estados fisiológicos basais. Em seguida, eles foram para uma sala privada e brincaram com um cão ou gato por 15 minutos. Logo após, deram mais sangue, e seus níveis de Oxycotina foram medidos.
Durante o processo, os pesquisadores descobriram que as alterações nos seres humanos diferem de pessoa para pessoa. Eles também descobriram que diversos animais produzem respostas diferentes.
O professor Zak também afirmou que a pesquisa concluiu que algumas pessoas simplesmente não são "pessoas de animais", e não mostraram nenhum efeito quando lhe foi dado um filhote de cachorro para cuidar.
Citar
0 #2 O amor é inerente 3M. Leite 28-03-2015 10:13
- Os cães são o melhores exemplos de seres humanos brincando de Deus - sempre vão amar seus donos. Nós estávamos fazendo algumas filmagens com a BBC, e teve uma apresentadora que segurou um filhote de cachorro - ela só teve um aumento de 3 % em oxitocina - e ela também admitiu que bebês não a afetam em nada.

E complementou: - Isso mostra que nem todas as pessoas são estimuladas por animais de estimação, disse o professor Zak , que começou a investigação depois de perder seu próprio cão, Teddy.
Citar
0 #1 O amor é inerenteMarquinhos Leite 28-03-2015 10:13
O hormônio do amor

O hormônio oxitocina é liberado em nosso corpo em diversas situações sociais e os nossos corpos liberam-no em altas concentrações durante interações sociais positivas, como se apaixonar, experimentar um orgasmo, parto e amamentação.

A oxitocina também é liberada durante o parto - desencadeando a produção de leite materno - e inunda o cérebro durante a amamentação, ajudando a mãe e o bebê a criarem vínculos .
Pesquisas anteriores mostraram que ele ajuda em relacionamento difusos e leva homens casados ​​a manterem-se distanciados de mulheres atraentes .
Citar