As Palavras têm Força!

Escrito por Mhario Lincoln. em: 30/03/2015 | Atualizado em: 30/03/2015

Compartilhe

Não conheço, até onde nosso relacionamento empata, nenhuma pessoa que não goste imediatamente de Raquel Ramos. Dentre várias qualidades que a fazem fascinante está a maneira como reage a determinadas interações. Como cultua seu mundo, como dirige sua consciência, como conforta com suas ideias. Eis o segredo! A questão não é só falar o que quer e o que pensa. Mas, temperar a ideia com um sabor pessoal, fugindo da regra dos clichês tão usuais.

Raquel Ramos toma isso como um timão em suas mãos e conduz seu barco de abordagens de forma à navegar por águas calmas, mesmo que a bússola usual lhe esteja indicando outro norte.

Cheguei a discutir com minha esposa determinadas situações colocadas em respostas diretas de Raquel  e nelas, pelo menos nelas, unanimidade - a não burra. Sim, porque unanimidade também é concordância, é liderança o que põe abaixo esse chavão idiota de que toda unanimidade "é burra".

Só tem unanimidade quem é líder. Quando a unanimidade é imposta pela força ou pela coação ou coerção, aí sim, considero-a burra. Mas, que não é o caso.

Voltando a unanimidade sadia de Raquel Ramos, o que vemos aqui é uma construção ideológica muito além da normalidade. Isso porque tem uma dose altíssima de autenticidade, respeito e linhagem de estilo.

Confesso que ficamos (eu e Veridiana) bem felizes ao ler os originais desta entrevista que compartilho agora com todos vocês. 

 

 

MHARIO LINCOLN - Interessante essa sua colocação de que não existe Amizade entre marido e mulher, namorado e namorada, caso e caso etc. Por que?


RAQUEL RAMOS - Esta minha colocação tem causado algumas divergências, especialmente entre as pessoas que formam um casal de longos anos. Quando você passa a ver a pessoa que dorme ao lado como amigo é porque já há alguém olhando ou sendo olhado com o desejo e a intenção de amantes que deve haver num relacionamento. Entre um casal tem de haver amor, paixão, parceria, comprometimento e afinidade (que muitos confundem com amizade). Você até pode transar com um amigo, mas com o "seu homem" é muito melhor. Para entender o sentido que quero dar à diferença entre amor e amizade no relacionamento, basta responder duas perguntas: 

_Você permite que esse seu amigo com o qual você dorme todas as noites transe com uma amiga dele ou tenha um caso?

_Se você tem 40, 50, 60 anos e inicia agora um novo relacionamento, naquela fase apaixonados, você enxerga ele como um amigo?

Esta é a diferença entre amor e amizade.

 

ML - Qual a realização de um novo-grande sonho, após grandes sonhos serem realizados ao longo de sua vida? 

RR - Sonho para mim é aquele que pode ser realizado. Sonhar por algo inatingível é frustração. Tudo o que realizei na minha vida foram coisas normais. Estudei, casei, tive filhos, fiz viagens (bem menos do que as que queria), tenho casa própria e ainda estou na ativa no trabalho formal. Tenho o blog superlinda e iniciei a faculdade de jornalista este ano. Algo que não estava nos meus planos, mas que ao ver anunciado num outdoor, o último dia de inscrição para o vestibular pensei: vou fazer. Me formar agora é o meu sonho, perfeitamente realizável.

ML - Acredito que vc goste de conversar. Mas por que vc escolheu 'o silêncio' quando lhe perguntaram em outra entrevista qual a palavra vc gostaria de ser?

RR (Risos) - Esta é a pergunta mais difícil e a que considero mais íntima das que você formulou. Sou de temperamento retraído e dificilmente me abro em confidências com alguém.  Lá no "silêncio" eu guardo tudo o que não quero que saibam de mim. Só consigo expor meus sentimentos de dor, depois que eles estiverem totalmente resolvidos dentro de mim mesma. E aí já não serão mais problemas. Por outro lado penso que há coisas, que nunca sairão de lá.

ML - O organismo de uma mulher (pré-adolescência e pós-adulta) passa por inúmeras modificações. Quais delas lhe tirou do sério? 

RR - Sem dúvida alguma, a menopausa. Não tenho nenhuma dificuldade em pronunciar esta palavra. A transformação física e emocional pela qual passamos durante este período, só é comparado à um tsunami. Não há o que façamos que impeça o aumento do peso, que as gorduras se instalem ou que a cintura engrosse. Temos uma irritação incontrolável e total falta de desejo sexual. Sei que algumas mulheres não podem fazer TRH, mas fazer a reposição hormonal é passar pela menopausa sem sentir que ela existe. 

ML Gostaria de ler sobre sua definição do Amor. Tem definição? 

RR -Tem sim, mas são definições diferentes. Amor por filho que é incondicional e para sempre. Amor por um homem que é igual a paixão. Tenho uma frase que diz: "Mesmo que um dia eu seja feliz ao lado de outra pessoa, o homem da minha vida é você". Quem puder dizer isto para alguém, saberá  o que é amor de verdade (rsrs). E o amor que você tem pela família, amigos, lugares, objetos, que é um amor de intensidade variável.

ML - Existe realmente felicidade quando uma mulher se torna independente financeira, social e de relacionamentos? Será que não falta algo? (Idéia geral, não pessoal). 

RR - 
A felicidade tem de existir. Ser feliz não é ter, é ser. Tem independência financeira, quem paga suas próprias contas ganhando um ou dez salários. Ter felicidade, vai dos seus anseios, expectativas e das frustrações que isto pode lhe causar, caso você não as alcance. A única certeza que tenho hoje é que você não pode colocar sobre outra pessoa a responsabilidade ser feliz.

ML  - Comprovadamente há quem viva com mais saúde, quem tem uma alimentação equilibrada e não tem vícios. Você é disciplinada com relação a isso?


RR - Muito. No meu dia a dia, só "funciono" com disciplina é rotina. Não sou do tipo de vai na academia, ou sai para correr na hora que dá uma folga. Ou eu vou de manhã muito cedo ou não vou. Posso passar um ano sem comer chocolate, mas se abro a caixa, como inteira. A disciplina é objetividade e a rotina faz parte da vida. Equilibre-se entre os dois, que dará certo.

ML - Mulheres que amam demais (tem até um livro interessante com esse título no Brasil) sofrem mais ou são mais completas e felizes? 

RR -
Não conheço este livro, mas já fui olhar para comprar. Sabe que eu não sei dar esta resposta? (Risos) Aquela história do "se chorei ou se sofri o importante é que emoções eu vivi" não faz muito a minha cabeça. Você só é feliz amando e para isto tem que ser correspondida, caso contrário você sofre. Isto falando de relacionamentos. Mas e as mulheres que não tem tem um homem? Essas buscam a felicidade em outras coisas e a encontram em viagens, atividades e amizades.  Mas um relacionamento faz falta sim. Temos necessidades de carícias.

ML - VC fala em seus textos que a mulher deve ser uma grande parceira do companheiro e provoque sentimentos para que a relação continue sempre com autoestima elevada. Vale até quando?


RR - Isso vale tudo o que você sentir que é verdadeiro dentro de si mesmo. Faça tudo na medida exata que recebe. Vale até quando sentir que há reciprocidade. Vale qualquer ato desde que este não fira a sua dignidade. 

ML - Sempre se espera uma dica, um conselho uma palavra amiga de quem a gente tem simpatia. Hoje, vc e seu blog têm dezenas de simpatizantes pelo Brasil e pelo Mundo. O que vc diria para essas pessoas?

RR - 
Certa vez uma amiga me disse: Seja fiel somente aos seus sentimentos. Eu fui e fiz tudo o que achei que deveria ser feito por um grande amor. Não me arrependo inclusive de coisas que deixei da fazer, para estar do seu lado. Isto pode passar a idéia de que eu seja uma pessoa do tipo irreverente, daquelas que joga tudo para o alto e vai em busca do seu sonho. Muito pelo contrário. Sou muito contida e comedida, mas fiel aos meus sentimentos. Não dá para levar a vida inconsequentemente.

ML - O fator religião. De que forma ajuda quando a pessoa está triste?


RR - Sou católica por formação e espírita Kardecista por que ela me acalenta, me abraça e não me julga, mas me responsabiliza pelos meus atos.. Se existe vida após a morte eu não sei, mas a idéia de que temos que evoluir, pregada por Kardec é o que motiva e dá o sentido de continuidade e "ter a vida inteira pela frente".

ML - Vc continua mantendo relação de amizade com amigos e amigas da época de escola. Isso é importante para a convivência social ou novos amigos é que estimulam mais a vida? 

RR - Sim, eu mantenho amizade até hoje com amigas que conheci no colégio e tenho contato, mesmo que só virtual com outros tantos. Relembrar o passado é sadio e revigorante. Mas penso que os novos amigos nos estimulam mais, porque nos forçamos a sair da zona do conforto.

13- Se vc tivesse o poder de mudar o Mundo, qual seria sua primeira atitude a ser tomada?

RR - Cabe nesta resposta todos aqueles clichês, de que deve haver mais amor e paz entre as pessoas para um mundo melhor. E sinceramente não encontrei nenhuma palavra mágica para responder esta pergunta. 

 

 

Comentários  

+2 #18 As palavras têm forçaluma rosa 02-04-2015 02:52
Oi, Raquel e Mhario!
Estou chegando com atraso, mas não poderia deixar de vir prestigiar a Raquel. Mulher linda e faceira que na sua discreção sabe usar o silêncio com muito charme.
Falar de amor é difícil, pois não existem amores iguais, que dirá de amor entre duas pessoas diferentes? Inconscientemente rola uma disputa dentro da relação, pois ninguém quer ser reconhecido pelas suas fraquezas.
Sublimar o amor não é a atitude mais madura, pois sabemos das dependências que ele causa e que muitas vezes não são nada românticas. Se na convivência à dois, o amor se torna mutante para a cada momento se moldar as exigências do cotidiano, não devemos massacrá-lo com o peso das futilidades.
Beijus,
Citar
+1 #17 As Palavras têm Força!Raquel Ramos 30-03-2015 22:29
Estou acompanhando todos os comentários e fico muito agradecida. Grande abraço. Raquel
Citar
+1 #16 MadameLucia Boligno 30-03-2015 20:22
Como dizia Madame Satã: " A maior virtude de uma mulher é sempre dizer a verdade. Até com a navalha na garganta".
Marcia
Rio/RiodeJaneiro
Lapa-Rio
Citar
+1 #15 PolêmicaProf. Souto Maior Tr 30-03-2015 20:17
Todo trabalho literário tem que haver polêmica. Se não tem repercusão, negativa ou positiva, não há liberdade de expressão. Quando a gente lê um texto de deixa pra lá, não funciona como texto literário. Um exemplo é Paulo Coelho. Odiado por muitos, amados por outros tantos. Mas vende livro pra milhões. "Jean-Jacques Rousseau dizia: Se o autor nunca foi comentado, não é autor". Portanto, cara e ilustre escritora do cotidiano Raquel Rubens, receba aqui meus humildes parabéns e todos os que aqui comentaram. Assim se faz LITERATURA no Mundo.
Citar
+1 #14 PseudônimoLolita 30-03-2015 20:08
Não quero me identificar. Mas assisti o video de Raquel e tem uma parte que diz que a mulher tem que se isinuar pra seu homem. Não interessa a idade. Mas falar uma coisinha aqui de vez em quando é bom. O homem é galinha por natureza. Se não ajeitar ele em casa ele vai ciscar na rua. Pronto, falei!
Sou contra também esse negocinho de amizadezinha de meia tigela. Seu Oliveira, tô é sua corage.
Citar
+1 #13 EntendoJA 30-03-2015 20:06
É numa fêmea que já foi sua e vc já a possuiu com todo amor e ardor fervoroso. Esse negócio de ficar amiguiinhos não cola. A não ser que ele seja amigo dentro de casa e um canalha traidor fora de casa.
José de Almeida Frazão
Ex-Padre casado e bem casado há 23 anos.
Qdo abraço minha mulher a abraço como fêma, não como amjiguinha. Um beijo na boca ainda dou e ela também. Não somos amigos. Somos parceiros no que diz à administração da família. Mas continuamos sendo amantes quando necessário. Simples assim!
Citar
+1 #12 Não é bem assimJosé Almeida 30-03-2015 20:05
As palavras sábias desta escritora tem muito a ver com a realidade. Os católicos pregam que os maridos devem ser amigos das esposas. Mas no fundo todos nós sabemos que a maioria tem uma amante ou um amante fora. Quando a coisa vira amizade é porque o calor acabou. Mas e mesmo assim, acabando o calor, não pode virar amizade de beijo no ombro. Tem que ainda ter aquele abraço gostoso. Abraço de macho e fêmea. mesmo que nada funcione mais, o cérebro ainda está apto a saber que aquele abraço não é na mama~e ou no papai.
Citar
+2 #11 Amor e amizadeJosé de Oliveira Ram 30-03-2015 19:30
Finalizando. Não, não sou retrógrado nem me considero machista. Mas escuto todos os dias que as mulheres vivem lutando na vida por igualdade. Igualdade em todos os sentidos: nos direitos, nos salários, nos afazeres, na liberdade. Sinceramente falando, acho que a mulher merece até mais que o que já conseguiu conquistar. Mas é preciso compreender que a melhor parceria dela é com ela própria (lutando sempre por uma construção digna e de respeito) e, com um homem de lado, na frente ou atrás. Um casal e não apenas um par. Repito: não sou machista, preconceituoso nem ultrapassado. Apenas vivo com os valores que meus pais me ajudaram a construir - ao lado da minha hoje parceira.
Citar
+2 #10 Amor e amizadeJosé de Oliveira Ram 30-03-2015 19:24
Não. Não me contraponho às mulheres. Talvez eu goste mais das mulheres do que de mim próprio - o que eu realmente não "suporto", é homem. Homem é peludo igual a um urso, bebe demais, come além da conta, e, às vezes é um completo idiota que vive querendo passar por "moderninho" e vive achando que mulher se conquista é com um cartão de crédito, um gorda conta bancária conjunta e esquece o essencial: respeito mútuo e amor - aquele amor dos velhinhos do Alzheimer. Agora, é incrível que ainda existam mulheres que acham que merecem respeito quando se dirigem ao trabalho usando uma minissaia e queiram passar que a roupa é apenas uma forma de vestir, e nunca uma forma de provocação. Infelizmente, ainda que algumas não gostem ou concordem - a grande maioria não usa esse tipo de roupa por modismo. Usa mesmo para ser paquerada, "bulida", cantada. E, verdadeiramente falando, acho que algumas até se ofendem, se frustram, quando põem essas roupas e ninguém mexe com elas.
Citar
+2 #9 Amor e amizadeJosé de Oliveira Ram 30-03-2015 19:08
Como exemplo, conto-lhe um caso que tem rolado na Internet: Um casal vivia há mais de 60 anos. A mulher sofria de Alzheimer há mais de 30 anos e há pelo menos 10 anos não reconhecia mais o marido. Mas, todos os dias o marido se dirigia ao local onde a esposa vivia para com ela tomar o café da manhã e fazia questão de servi-la. A Enfermeira, atônita com o que via todos os dias, perguntou ao homem: "Se ela não sabe mais quem o Senhor é, como pode vir tomar café com ela todos os dias?" E ele respondeu: ela não sabe quem eu sou, mas eu sei quem ela é. Será que isso pode ser chamado apenas de "amizade", pelo fato deles não conviverem as 24 horas do dia e pelo fato de não fazerem sexo? Os meus avós, analfabetos de pai e mãe, me ensinaram que o nome disso é "AMOR"!
Citar