Uma gota d´água!

Escrito por Mhario Lincoln. em: 20/06/2015 | Atualizado em: 22/06/2015

Compartilhe

Por José de Oliveira Ramos
(O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. )

 

Água – líquido precioso e finito desdenhado pelo homem


O planeta Terra começa a ter que se preocupar – mais ainda – com a água. Em alguns países, o problema é grave. O Brasil é um desses países, mas nosso caso, em que pese a continentalidade e as diferenças climáticas, o agravamento faz parte de má gestão.
Países asiáticos onde o crescimento populacional também é vigiado há anos, a alternativa do reuso é antiga. No início da década de 80, mais precisamente 1980, Henrique de Souza Filho, cartunista conhecido entre nós por “Henfil”, nos presenteou com a primeira edição do livro “Henfil na China”, onde narrava suas experiências na terra de Mao Tsé-Tung.
E, numa muito feliz passagem, Henfil citava uma experiência nova e desconhecida para ele: o reuso da água. A água utilizada na descarga das instalações sanitárias era tratada e usada na agricultura. Mais estranho ainda, citava Henfil, era o encaminhamento da urina humana para um moderno sistema de captação. Da urina, naqueles tempos, os chineses aproveitavam o líquido e a amônia.
“Grandes regiões metropolitanas do mundo podem enfrentar problemas graves de falta de água. O Brasil não está livre desse risco. Para o economista Gesner Oliveira, Ph.D. pela Universidade da Califórnia em Berkeley e presidente da Sabesp entre 2007 e 2010, há duas medidas urgentes a serem tomadas para evitar que a situação atinja o nível de calamidade. A primeira é combater o desperdício. No Brasil, 37% da água tratada são desperdiçados e sequer chegam às torneiras. A segunda é ampliar a reutilização da água, prática comum nos países que são modelo em abastecimento. (Veja – 6 de agosto 2014). ”

 

A escassez sofrida por São Paulo é o melhor exemplo de desperdício e má gestão

 

 

O Brasil enfrenta o problema da água há muitos anos. A região Nordeste, encravada entre as regiões Norte, Sudeste e Centro-Oeste convive com a “seca” há muito mais que um século. O semiárido nordestino há muito é o responsável pelo êxodo que acaba por sobrecarregar o sudeste, levando para ali problemas urbanos indesejados – densidade populacional e violência urbana.
São Paulo, o Estado de maior densidade populacional do Brasil, ainda sofre com a estiagem que acabou por delimitar o uso da água, impondo regras, fazendo reviver a ideia do reúso – mas antevendo que vem aumento de tarifa por aí. Na culminância, escreve-se e registra-se a existência do mau gestor.
“A reciclagem da água será uma realidade. Há no mundo um nível de tratamento tal que, ao fim dele, é possível beber a água que saiu da estação de tratamento de esgoto. Parece repugnante, mas é usual em Israel, por exemplo.” (Veja – 6 de agosto de 2014)


No sertão nordestino a escassez da água vence a guerra contra a natureza e castiga os animais


A excepcionalidade de ser um país continental, dá ao Brasil um cabedal de situações diferenciadas. A região Norte, ao contrário da região Nordeste, enfrenta problemas de “excesso” d´água. A perenidade de rios importantes, como Negro e Amazonas, e a exuberância dos lençóis freáticos (fala-se, inclusive, na existência de rios subterrâneos na região amazônica) se espraia por estados da pré-Amazônia e até lhe impõe catástrofes nos períodos chuvosos.
O Maranhão é um desses estados que enfrentam situações vexatórias. Com população que ultrapassa a 1 milhão de habitantes, ainda convive com a excepcionalidade da captação e tratamento d´água e a exigência da perfuração de poços artesianos.
E tudo vai embora pelo ralo do desperdício, haja vista a inexistência de campanhas voltadas para o consumo ordenado e responsável por parte da população – principalmente pelo baixo nível educacional e de compreensão de que a água é algo finito. Algo que acaba sem não for bem usado.

 

Comentários  

0 #10 Onde acaba a fraude?José de Oliveira Ram 21-06-2015 17:24
Francisco Humberto: agradecido pela sua participação amigo, e mais ainda pela clareza dos ensinamentos. Volte sempre que desejar.
Citar
0 #9 Fraude (Gostei)José de Oliveira Ram 21-06-2015 16:35
Martinha: amiga, só me resta agradecer sua participação e considerar como colaboração o seu conselho. Nunca pretendi me envolver. Conheço um pouco do nosso Brasil e muito dos brasileiros. A matéria pretende fazer refletir, principalmente para o desperdício, seja ele por conta dos ricos ou dos pobres.
Citar
0 #8 FraudeJosé de Oliveira Ram 21-06-2015 15:01
Lucas Esperança: amigo, agradeço a visita e o conselho. Agradeço mesmo! Mas, a ideia da postagem não é responsabilizar ninguém, tampouco acusar - até porque, não tenho elementos comprobatórios. A ideia central é fazer uma reflexão e alertar para a escassez.
Citar
0 #7 A título de sugestão 01Caro jornalista 20-06-2015 22:57
Há algum tempo venho acompanhando através deste ACERVO suas inserções literárias que eu as tenho achado por demais oportunas. Todavia, há de se atentar para alguns fatos que não são totalmente verdades, quando o assunto é água ou meio ambiente. Faço parte de uma Comissão de Estudos Avançados, com sede em Lisboa, que vem acompanhando essa grita de forma preocupante. Temos documentos comprobatórios que no Brasil, muitas pessoas estão agindo de forma fraudulenta quando trata do assunto da água potável, especialmente em áreas de secas históricas, como no Nordeste do Brasil. (Continue lendo)
Carlos Eduardo de Orleans
Sepetiba/Brasil.

Obs: o vídeo abaixo, por favor veja-o com mente aberta.
https://www.youtube.com/watch?v=gdTiIv0CN1k
Citar
0 #6 A título de sugestãoIlmo. Sr. Jornalista 20-06-2015 22:54
Quanto ao Meio Ambiente, os crimes são muito maiores do que se pensa.
Sugiro que o ilustre jornalista veja as explicações de Dom Bertrand de Orleans e Bragança, autor do livro "Psicose Ambientalista". O que é divulgado pela grande mídia, nem sempre vem abduzida de fatos reais. E sim, há uma grande manipulação, até mesmo inconsciênte, que acredito ser o seu caso, neste matéria específica, pelo amor de Deus, não me leve à mal, a fim de que alarmada, a população mais pobre se veja na obrigação de 'economizar' em favor dos mais ricos. Pense seriamente nisso, ilmo. sr.Oliveira Ramos.
https://www.youtube.com/watch?v=gdTiIv0CN1k
Citar
0 #5 Sobre a FRAUDEDr. Fco Humberto 20-06-2015 22:30
O aquecimento global não é uma ameaça à humanidade – a histeria “aquecimentista”, sim! Porém, em vez de ameaça, constitui uma das maiores fraudes científicas e farsas científicas da História. A fraude do aquecimento global demonstra que as mudanças climáticas são fenômenos naturais que ocorrem há centenas de milhões de anos e contra as quais a humanidade pouco pode fazer no seu atual estágio de conhecimento, além de entender melhor a sua dinâmica e adaptar-se adequadamente a elas.

O infundado alarmismo “aquecimentista” é promovido por interesses políticos e econômicos, que transformaram um debate científico em uma obsessão mundial e uma verdadeira indústria.
Dr. Francisco Humberto
Fortaleza-Ceará
Membro da Associação Energética Luso-Brasileira.
Citar
0 #4 Continua a FRAUDEDr. F. Humberto 20-06-2015 22:29
Por isso, o público em geral ignora que:

* não há qualquer evidência científica concreta que vincule a ação humana aos aumentos de temperaturas globais ocorridos desde o século XIX; * as temperaturas mundiais pararam de subir no final da década de 1990 e estão em queda;

* os níveis do mar já foram mais altos que os atuais;

* as atuais concentrações atmosféricas de CO2 estão entre as mais baixas da história geológica da Terra;

* temperaturas e níveis de CO2 mais altos que os atuais seriam benéficos para a maioria dos seres vivos, inclusive o homem. As temperaturas atmosféricas e oceânicas já foram mais altas e mais baixas do que as atuais e a própria humanidade surgiu durante o período Quaternário, o de mais rápidas mudanças climáticas de toda a história da Terra.
Citar
0 #3 Onde acaba a FRAUDE?Francisco Humberto 20-06-2015 22:27
A fraude e farsa do aquecimento global está sendo manipulada para converter a atividade científica em um processo de “assembleia de consenso”, apoiado por uma mídia geralmente acrítica e anestesiada e pelos recursos técnicos de Hollywood. Por trás dela, encontram-se interesses políticos e econômicos inconfessáveis, que, enquanto promovem o aquecimento global como uma nova crença pseudocientífica, se empenham em faturar bilhões de dólares com a sua transformação em uma lucrativa indústria. Por isso, é fundamental que o alarmismo “aquecimentista” seja devidamente neutralizado.
Citar
0 #2 FRAUDE (Gostei)Martinha 20-06-2015 22:25
Não ia comentar nada. Mas gostei seu Rojas.
Acertou na mosca. Ei, José. Não entra nessa não!
Tudo é fraude. Moro em Belo Horizonte.
No meu bairro, em 90% das casas têm piscina. Todo tempo cheia. O que os governos devem fazer não é aumentar preço de água e luz. Mas garantir uma melhora rápida na despoluição dos rios. E por que não há campanha pra isso? Por que o aumento da energia elétrica não foi para a despoluição dos rios?
Tem mutreta, seu José.
Citar
0 #1 FRAUDELucas Esperança 20-06-2015 22:23
Caro José,
Não se envolva com esse tipo de fraude. Água ainda tem. Acontece é que bandidos aumentaram a água mais de 200 por cento. Aumentaram a luz mais de 500% e a culpa é da água. Seca no Nordeste sempre existiu e sempre vai existir. Não há milagre que faça chover nessa área.
As invenções aumentam para alguém lucrar com isso, como os governadores do nordeste sempre lucraram com cheias ou com secas. A mesma idiotice de sempre. Tu que é um homem letrado sabe que existe muitas invenções com a finalidade de espantar a população de baixa renda. A pobreza.
Te escrevo de um hotel 5 estrelas no Alto Xingu, onde estou. Aqui o hotel tem até um turbilhão de água. Tem chafarizes. Tem piscinas imensas.
Os ricos gastam água à vontade. O pobre não pode porque os governos precisam de uma desculpa para aumentarem as coisas e gastarem mais. Não entre nessa, caro José.
Lucas Esperanças Rojas
Engenheiro Elétrico Aposentado de Furnas.
Residente em São Paulo Capital.
Citar