Para onde vai o Judiciário?

Escrito por Mhario Lincoln em 07/04/2015

 

Carlos Magno Galvão Carvalho* e Carlos Nina**

 A Associação dos Magistrados do Maranhão mandou celebrar missa em sufrágio da alma do juiz estadual Armindo Nascimento Reis Neto, precocemente falecido em acidente de trânsito. Após a celebração o presidente da AMMA, Gervásio Protásio dos Santos, falou sobre o colega. Contou um episódio ocorrido poucos meses antes do acidente.
> Após uma reunião com os magistrados na Comarca de Imperatriz, o Presidente da AMMA dirigiu-se para o carro do colega que o havia levado. Não percebeu, distraído pelas urgências celulares, que entrou em outro carro, igual ao que deveria ter procurado.
> Gentil, como de hábito, Armindo, dono do carro, sem demonstrar surpresa, perguntou a Gervásio: Para onde vamos, Presidente?
> Em sua homenagem, Gervásio Santos suscitou uma reflexão sobre a pergunta e manifestou sua esperança na magistratura.
> Nós, que estávamos presentes e que temos vivenciado a trajetória da prestação jurisdicional, na Advocacia, no Ministério Público e na Magistratura, como agentes ou partes, sentimos a angústia de não saber essa resposta ou de não querer aceitar a realidade.
> Para onde vai o Judiciário?
> A resposta não interessaria se não se tratasse de um Poder da República que decide sobre a liberdade e o patrimônio das pessoas, devendo, nesse mister, assegurar o direito a quem o tem, compelindo o violador ao cumprimento de sua obrigação: abster-se de conduta ilegal ou praticar ato que resiste a cumprir.
> A história da humanidade é plena de conflitos. O Judiciário foi imaginado e criado exatamente para dirimi-los. Sobre ele repousa a última esperança dos violentados, dos oprimidos, dos desrespeitados, das vítimas de abusos, arbitrariedades, violências e ilegalidades de toda ordem. É no Judiciário que buscam Justiça.
> A questão é: o Judiciário cumpre esse papel? Faz justiça?
> Estão exauridas todas as esperanças nos Poderes Legislativo e Executivo. Os eleitos trabalham visando benefício pessoal à custa do erário. O Judiciário é a última esperança nas democracias.
> Mas esse Poder é uma Instituição. Sua ação ou omissão resulta da conduta de seus principais agentes, os magistrados. Pessoas humanas e, portanto, falíveis, por mais divindade que alguns se atribuam.
> Somos testemunhas de que há – e muitos – magistrados e magistradas cujas condutas são o melhor exemplo de busca da Justiça. Eles facilitam uma resposta de esperança para os jurisdicionados.
> Mas cabe perguntar-se: - Para onde vai um Judiciário em que membros de suas mais altas cortes oferecem-se para julgar processos de cujas partes já foram advogados? Casos dos quais deveriam até se afastar, por dever moral.
> Para onde querem levar o Judiciário aqueles magistrados que usam em benefício próprio bens e valores sob sua custódia? Que seduzem as partes ou se deixam por elas seduzir e, assim subornados, proferem decisões para beneficiar seus cúmplices nessas relações? Que, depois de suas decisões criminosas, até se julgam impedidos ou suspeitos, mas continuam atuando nos autos através de outros que se prestam ao papel de boneco de ventríloquo?
> Para onde vai um Judiciário onde decisões e omissões para hibernar autos são objeto de negociatas? Onde os despachos não respeitam a ordem de distribuição dos processos e a estes são dadas preferências de acordo com interesses alheios à moralidade, à ética e à decência?
> Para onde vai, enfim, um Judiciário onde magistrados, depois de manter sem despacho iniciais e petições de processos durante anos, mandam intimar a parte para que diga, em 48 horas, se tem interesse no andamento do feito?
> Para onde vai esse Judiciário?
> Que a pergunta de Armindo a Gervásio sirva como estímulo à reflexão de cada magistrado sobre a importância de sua função para a paz social e o fortalecimento da Democracia. Que se conduzam com ética, decência, determinação e equilíbrio.
> Esse é o único caminho da Justiça.
>
> * Advogado. Juiz estadual aposentado (AMMA).
> ** Jornalista (SJPSL) e advogado (IAB e AASP). Juiz estadual aposentado (AMMA).

"Perdão Pai – eles ainda não sabem o que fazem..."

Escrito por Mhario Lincoln em 04/04/2015

Por José de Oliveira Ramos
(O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. )

 

 


Perdão Pai – eles ainda não sabem o que fazem.


Teu sangue Pai, no espinho da coroa que te impuseram – e que me salva na eternidade.

Jesus, eu aprendi que nenhum de nós vai ao pai, sem que seja através de ti. E eu creio nisso. Creio firmemente.

Creio, também, que só estou aqui porque tu queres. Sei que permitistes que eu cumpra a minha missão – para só então, voltar para o pó de onde vim.


Mas, nesses 72 anos a serem completados dentro de 26 dias, aprendi muito. Aprendi com as pessoas certas, creio. Vivi vendo e procurando (além de valorizar) compreender o sacrifício que fizestes e o sangue que derramastes por mim, por nós. Por todos nós.

E, ao que parece, em troca temos te dado tão pouco – e, provavelmente menos do que o pouco que tu pedes, em troca de tudo que fizestes.


Derramastes o teu sangue. Entregastes o teu corpo em sacrifício por nós – e até esquecestes de ti.
Vês!….

Tuas mãos pregadas – pela minha liberdade.


Viemos do pó e ao pó voltaremos, depois da nossa missão. Mas, nesse intervalo entre a chegada e a volta, nos permites o usufruto do que só tu és capaz de criar – e de colocar à nossa disposição.


Tudo parece pintura e até as que realmente o são, como Capela Sistina e tantas outras que destes mãos, olhos e sensibilidade para Michelangelo, Vincent van Gogh, Monet, Manet, Toulouse-Lautrec, Leonardo da Vinci, Gauguin e tantos outros nos deliciarem com cores mágicas. Cores divinas. Cores tuas.


Pai quem usaria essas cores melhor que tu?


Jesus, quem na Terra conseguiria pintar o arco-íris?


E, quem faria isso usando apenas a “tela” que usas?


E as tintas – alguém conseguiria mais belas que as tuas?


Pai, pintarás sempre melhor que Lautrec, Gogh ou Michelângelo.


Senhor, e o vento que fizestes fortes para tanger os maus; fracos para acariciar os bons e raivosos para castigar aqueles que teimam em desobedecer – e que só lembram de Ti nas necessidades?!


E os animais, o mar com suas ondas calmas ou revoltas?


Quem mais poderia criar tudo isso, senão Tu?


Quem mais é capaz de manter a vida de todos e de tudo, se não Tu?


E a chuva, o sol, a noite, o dia e o cântico mavioso dos pássaros – alguém seria capaz de criar e manter além de Ti?


Só Tu Mestre, és capaz de adaptar o animal ao habitat.


Por tudo isso Jesus, caminho único que nos leva à Deus, eu vivo. Eu creio. Conscientemente, o somatório de tudo, ainda será muito pouco ou quase nada para explicar o Mistério da Fé.

 

"Sonhar é apenas uma questão de dormir". Exclusivo, Ricardo Fonseca

Escrito por Mhario Lincoln em 03/04/2015

EXCLUSIVO:

Entrevista com Ricardo Fonseca

Por Raquel Ramos (www.superlinda.com) e Mhario Lincoln (www.domeulivro.com.br)

 

No Espelho:

Quem é Ricardo Fonseca por ele mesmo:

 

" Sou um sonhador inveterado. Sonho com um mundo mais justo, multi colorido,  cheio de Paz e plantas enormes pra purificar nosso ar  e nos fazer sombras. O que seria do Sol sem o mar e da lua sem as estrelas ? O que seria do homem sem a mulher, da mulher sem o bebê e do bebê sem a família? O que seria de nós , sem nós mesmos e sem os outros? Estamos perdidos quando nos achamos, limpos quando nos sujamos e,  simples quando vemos as coisas mais complexas da vida. Somos seres de uma inteligência imensurável, por mais burrices que fazemos, no final acabamos acertando pelo menos  uma bola dentro. Somos tudo aquilo que queremos ser. E quem vai nos impedir? Sonhar é apenas uma questão de dormir. Quem não sonha não vive e vice versa. Vamos sonhar, mesmo que acordado, por que só assim  estaremos abertos para evoluir, sorrir, chorar, amar e ser amado. A insônia  real não pode sair do não sono, e influenciar a sua felicidade natural. Efêmero é viver e não amar. Plantar, cavar, fincar, construir. Esse é o nosso dever aqui. Construir um mundo que nem tanto seja mau, mais muito seja bom. Talvez bem mais que bom. Um mundo especialmente real , mesmo que no virtual. As barreiras vão além do laptop, tablet ou smartfone. As barreiras estão dentro  nós mesmo. Vamos a batalha íntima diária."

 Eis a entrevista:

As Palavras têm Força!

Escrito por Mhario Lincoln em 30/03/2015

Não conheço, até onde nosso relacionamento empata, nenhuma pessoa que não goste imediatamente de Raquel Ramos. Dentre várias qualidades que a fazem fascinante está a maneira como reage a determinadas interações. Como cultua seu mundo, como dirige sua consciência, como conforta com suas ideias. Eis o segredo! A questão não é só falar o que quer e o que pensa. Mas, temperar a ideia com um sabor pessoal, fugindo da regra dos clichês tão usuais.

Raquel Ramos toma isso como um timão em suas mãos e conduz seu barco de abordagens de forma à navegar por águas calmas, mesmo que a bússola usual lhe esteja indicando outro norte.

Cheguei a discutir com minha esposa determinadas situações colocadas em respostas diretas de Raquel  e nelas, pelo menos nelas, unanimidade - a não burra. Sim, porque unanimidade também é concordância, é liderança o que põe abaixo esse chavão idiota de que toda unanimidade "é burra".

Só tem unanimidade quem é líder. Quando a unanimidade é imposta pela força ou pela coação ou coerção, aí sim, considero-a burra. Mas, que não é o caso.

Voltando a unanimidade sadia de Raquel Ramos, o que vemos aqui é uma construção ideológica muito além da normalidade. Isso porque tem uma dose altíssima de autenticidade, respeito e linhagem de estilo.

Confesso que ficamos (eu e Veridiana) bem felizes ao ler os originais desta entrevista que compartilho agora com todos vocês. 

 

 

MHARIO LINCOLN - Interessante essa sua colocação de que não existe Amizade entre marido e mulher, namorado e namorada, caso e caso etc. Por que?


RAQUEL RAMOS - Esta minha colocação tem causado algumas divergências, especialmente entre as pessoas que formam um casal de longos anos. Quando você passa a ver a pessoa que dorme ao lado como amigo é porque já há alguém olhando ou sendo olhado com o desejo e a intenção de amantes que deve haver num relacionamento. Entre um casal tem de haver amor, paixão, parceria, comprometimento e afinidade (que muitos confundem com amizade). Você até pode transar com um amigo, mas com o "seu homem" é muito melhor. Para entender o sentido que quero dar à diferença entre amor e amizade no relacionamento, basta responder duas perguntas: 

_Você permite que esse seu amigo com o qual você dorme todas as noites transe com uma amiga dele ou tenha um caso?

_Se você tem 40, 50, 60 anos e inicia agora um novo relacionamento, naquela fase apaixonados, você enxerga ele como um amigo?

Esta é a diferença entre amor e amizade.

 

ML - Qual a realização de um novo-grande sonho, após grandes sonhos serem realizados ao longo de sua vida? 

RR - Sonho para mim é aquele que pode ser realizado. Sonhar por algo inatingível é frustração. Tudo o que realizei na minha vida foram coisas normais. Estudei, casei, tive filhos, fiz viagens (bem menos do que as que queria), tenho casa própria e ainda estou na ativa no trabalho formal. Tenho o blog superlinda e iniciei a faculdade de jornalista este ano. Algo que não estava nos meus planos, mas que ao ver anunciado num outdoor, o último dia de inscrição para o vestibular pensei: vou fazer. Me formar agora é o meu sonho, perfeitamente realizável.

ML - Acredito que vc goste de conversar. Mas por que vc escolheu 'o silêncio' quando lhe perguntaram em outra entrevista qual a palavra vc gostaria de ser?

RR (Risos) - Esta é a pergunta mais difícil e a que considero mais íntima das que você formulou. Sou de temperamento retraído e dificilmente me abro em confidências com alguém.  Lá no "silêncio" eu guardo tudo o que não quero que saibam de mim. Só consigo expor meus sentimentos de dor, depois que eles estiverem totalmente resolvidos dentro de mim mesma. E aí já não serão mais problemas. Por outro lado penso que há coisas, que nunca sairão de lá.

ML - O organismo de uma mulher (pré-adolescência e pós-adulta) passa por inúmeras modificações. Quais delas lhe tirou do sério? 

RR - Sem dúvida alguma, a menopausa. Não tenho nenhuma dificuldade em pronunciar esta palavra. A transformação física e emocional pela qual passamos durante este período, só é comparado à um tsunami. Não há o que façamos que impeça o aumento do peso, que as gorduras se instalem ou que a cintura engrosse. Temos uma irritação incontrolável e total falta de desejo sexual. Sei que algumas mulheres não podem fazer TRH, mas fazer a reposição hormonal é passar pela menopausa sem sentir que ela existe. 

ML Gostaria de ler sobre sua definição do Amor. Tem definição? 

RR -Tem sim, mas são definições diferentes. Amor por filho que é incondicional e para sempre. Amor por um homem que é igual a paixão. Tenho uma frase que diz: "Mesmo que um dia eu seja feliz ao lado de outra pessoa, o homem da minha vida é você". Quem puder dizer isto para alguém, saberá  o que é amor de verdade (rsrs). E o amor que você tem pela família, amigos, lugares, objetos, que é um amor de intensidade variável.

ML - Existe realmente felicidade quando uma mulher se torna independente financeira, social e de relacionamentos? Será que não falta algo? (Idéia geral, não pessoal). 

RR - 
A felicidade tem de existir. Ser feliz não é ter, é ser. Tem independência financeira, quem paga suas próprias contas ganhando um ou dez salários. Ter felicidade, vai dos seus anseios, expectativas e das frustrações que isto pode lhe causar, caso você não as alcance. A única certeza que tenho hoje é que você não pode colocar sobre outra pessoa a responsabilidade ser feliz.

ML  - Comprovadamente há quem viva com mais saúde, quem tem uma alimentação equilibrada e não tem vícios. Você é disciplinada com relação a isso?


RR - Muito. No meu dia a dia, só "funciono" com disciplina é rotina. Não sou do tipo de vai na academia, ou sai para correr na hora que dá uma folga. Ou eu vou de manhã muito cedo ou não vou. Posso passar um ano sem comer chocolate, mas se abro a caixa, como inteira. A disciplina é objetividade e a rotina faz parte da vida. Equilibre-se entre os dois, que dará certo.

ML - Mulheres que amam demais (tem até um livro interessante com esse título no Brasil) sofrem mais ou são mais completas e felizes? 

RR -
Não conheço este livro, mas já fui olhar para comprar. Sabe que eu não sei dar esta resposta? (Risos) Aquela história do "se chorei ou se sofri o importante é que emoções eu vivi" não faz muito a minha cabeça. Você só é feliz amando e para isto tem que ser correspondida, caso contrário você sofre. Isto falando de relacionamentos. Mas e as mulheres que não tem tem um homem? Essas buscam a felicidade em outras coisas e a encontram em viagens, atividades e amizades.  Mas um relacionamento faz falta sim. Temos necessidades de carícias.

ML - VC fala em seus textos que a mulher deve ser uma grande parceira do companheiro e provoque sentimentos para que a relação continue sempre com autoestima elevada. Vale até quando?


RR - Isso vale tudo o que você sentir que é verdadeiro dentro de si mesmo. Faça tudo na medida exata que recebe. Vale até quando sentir que há reciprocidade. Vale qualquer ato desde que este não fira a sua dignidade. 

ML - Sempre se espera uma dica, um conselho uma palavra amiga de quem a gente tem simpatia. Hoje, vc e seu blog têm dezenas de simpatizantes pelo Brasil e pelo Mundo. O que vc diria para essas pessoas?

RR - 
Certa vez uma amiga me disse: Seja fiel somente aos seus sentimentos. Eu fui e fiz tudo o que achei que deveria ser feito por um grande amor. Não me arrependo inclusive de coisas que deixei da fazer, para estar do seu lado. Isto pode passar a idéia de que eu seja uma pessoa do tipo irreverente, daquelas que joga tudo para o alto e vai em busca do seu sonho. Muito pelo contrário. Sou muito contida e comedida, mas fiel aos meus sentimentos. Não dá para levar a vida inconsequentemente.

ML - O fator religião. De que forma ajuda quando a pessoa está triste?


RR - Sou católica por formação e espírita Kardecista por que ela me acalenta, me abraça e não me julga, mas me responsabiliza pelos meus atos.. Se existe vida após a morte eu não sei, mas a idéia de que temos que evoluir, pregada por Kardec é o que motiva e dá o sentido de continuidade e "ter a vida inteira pela frente".

ML - Vc continua mantendo relação de amizade com amigos e amigas da época de escola. Isso é importante para a convivência social ou novos amigos é que estimulam mais a vida? 

RR - Sim, eu mantenho amizade até hoje com amigas que conheci no colégio e tenho contato, mesmo que só virtual com outros tantos. Relembrar o passado é sadio e revigorante. Mas penso que os novos amigos nos estimulam mais, porque nos forçamos a sair da zona do conforto.

13- Se vc tivesse o poder de mudar o Mundo, qual seria sua primeira atitude a ser tomada?

RR - Cabe nesta resposta todos aqueles clichês, de que deve haver mais amor e paz entre as pessoas para um mundo melhor. E sinceramente não encontrei nenhuma palavra mágica para responder esta pergunta. 

 

 

Eu & Ela

Escrito por Mhario Lincoln em 28/03/2015

 

(*) Mhario Lincoln

 

 

Mhario Lincoln e Wlad Licnerski (artista paranaense-ilustrador do Guia do Extraordinário Poético no Twitter)

 

Primeiro Momento:

Por diversas vezes acordei no meio da noite para enxugar as lágrimas do meu coração que insistiam em inundar minha alma triste, dependente prisional de linhas poéticas que fervilhavam dentro de mim.

Nem imaginava que não havia sido nenhuma referência, até então. Para ninguém, nem pra mim mesmo. A vida transbordando no peito de quem grita por liberdade. Mas a solidão de atos sufoca e mata a esperança.

E todos esses anos garimpando no fundo do leito do meio rio, algo que me pudesse servir de exemplo para, desesperadamente, me encontrar nesse vago estado de coisas fantasmagóricas e inacabadas de minha consistência pessoal.

 

Segundo Momento:

A imaturidade turbulenta de minha angústia transpassava o equilíbrio possível, até ali. Pura incapacidade de rolar as dívidas do corpo e do espírito. Ilusão pirotécnica de que tudo se reduziria à palmas e fogos de artifício.

Precisava urgentemente ancorar num porto maduro. Crescer do menino ao homem, mergulhar nas profundezas da verdade, imergir com as responsabilidades tão inerentes às pessoas normais que me cercavam.

Fugir do céu parabólico, enfrentar auroras boreais de minhas frustrações, rompendo com o fogo e o desejo incontroláveis de possuir todas as sereias dos mares, atraído - voluntariamente - por seu canto embriagador.

Blocos de passado e presente evoluíam ao meu lado como fotossíntese. Transformavam meu oxigênio em febre carbônica, sem alcance, nem mesmo pela voz dos desertos. Passava incólume pelas oportunidades a mim oferecidas. Todas feito relâmpagos em temporais antropofágicos.

 

Terceiro Momento:

Minha alma chorou, no entanto, até o momento em que fiz dela, a lágrima, a bússola para regurgitar letras, parágrafos e frases, remédios entorpecedores num momento tão desprezível para quem insiste da desobediência da alma.

Foi-me, destarte, a poesia, a redentora dos buracos negros do meu universo. Fez-me ver que nem mesmo universo sou. Mas um meteorito incandescente que aguarda a atração simbiótica de alguma dimensão, de algum movimento relativo e uniforme, para ressurgir num planeta tão visível, como aquele que fica no lado esquerdo do peito.

(Mhario Lincoln, Curitiba, 27/03/2015, ao completar 61 anos.)

Você conhece bem seu cão?

Escrito por Mhario Lincoln em 27/03/2015

Exclusivo

Por José de Oliveira Ramos

(O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. )

 

 

 

 

 

Não existe cão feio – existe animal maltratado
Um cão é um amigo. Se você o trata bem e o compreende, ele jamais vai fazer algo errado. Claro que, nesse contexto, tem quem exagere e passe a tratar o “animal” como se fora um humano. Isso não é bom. Para compreendê-lo e trata-lo bem, não precisa fazer dele p ser humano que ele não é. Se alguém o trata como “cão”, com o carinho que um cão merece, ele ficará satisfeito e será sempre amigo.
Pesquisando na Internet, encontramos essas dicas importantes para uma boa convivência entre o cão e os humanos da casa. Veja:

Doberman – um fera dócil
Assim como nós temos o nosso sistema de comunicação, os cães também se expressam de diferentes maneiras. Para descobrir mais sobre o que seu animalzinho tem a dizer em determinados momentos, confira os significados das atitudes mais comuns dos cachorros.
Você sabe o que o seu cachorro quer dizer quando lambe as suas mãos? Reconhece quando ele está cansado ou nervoso? Entende por que ele, às vezes, uiva no meio da noite ou dá algumas voltinhas em torno de si mesmo antes de deitar? Afinal, você entende as atitudes do seu cão? Entre um latido e outro, alguns comportamentos dos bichinhos de estimação passam despercebidos pelos donos. Porém, em muitos casos, esses gestuais podem expressar necessidades, pedidos e alertas.
Por meio de diversos estudos e análises, alguns profissionais investigam o comportamento canino a fim de desvendar as causas de determinadas atitudes dos cãezinhos. Especialistas em psicologia canina e adestramento de animais desvendaram alguns dos hábitos mais comuns dos cachorros para que você entenda um pouco mais do que o seu fiel companheiro tem a dizer em alguns momentos.
Convidando você para brincar com as patas dianteiras abaixadas - Um convite para uma bela brincadeira: é mais menos isso que seu animalzinho quer dizer quando se inclina sobre as patas dianteiras com a parte posterior do tronco erguida, abanando o rabo sem parar. E o pedido para a diversão pode ficar ainda mais evidente quando ele bate com as patas no chão ou começa a latir, tentando chamar a sua atenção. Afinal, diante de tanto empenho do companheiro para brincar, por que resistir em jogar a bolinha?

A beleza é parte do tratamento e do cuidado
Cheirar outros cães ou a mão de uma pessoa antes de deixar fazer carinho - O olfato dos cães é tão poderoso que equivale à visão humana. É um sentido tão importante na espécie que, ao nascer, os cães encontram as mamas da mãe para se alimentar através do faro, antes mesmo de abrirem os olhos. Com um olfato com mais de 200 milhões de receptores (cerca de 40 vezes mais do que os seres humanos), nada mais justo que os cães usem esse sentido também para outros fins: é com o faro que eles reconhecem as pessoas e até outros cães. Por isso, quando você conhece um novo bichinho, é comum que ele cheire você antes de se deixar receber carinho ou passe algum tempo cheirando o corpo de outro animal (desconhecido para ele ou não) para se familiarizar.
Dar voltas em torno de si mesmo antes de dormir - Antes de dormir, os cachorros costumam dar pequenas voltas em torno de si mesmos (às vezes chegam até a arranhar os locais em que vão se deitar com as unhas). Esse hábito peculiar é um resquício da era selvagem pelas quais os antepassados dos cãezinhos de hoje viveram. Naquele tempo, os cachorros do mato precisavam amassar e afofar bem a grama ou terra sobre a qual deitavam, para que a cama “improvisada” ficasse mais confortável e sem fiapos durante a noite de sono. As voltas que eles dão em torno de si mesmos orientam as direções norte ou sul.
Virar a cabeça e as orelhas para o lado - Já reparou quando o seu cãozinho inclina a cabeça para o lado e faz uma expressão de dúvida? Esse gesto pode ser bem mais que apenas uma posição adorável. Isso geralmente ocorre quando o cachorrinho escutou algum som que chamou atenção, mas foi rápido demais para que pudesse descobrir de onde vinha. Quando o cachorro vira a cabeça e as orelhas para uma determinada direção é porque escutou algum barulho e quer tentar localizá-lo e identificá-lo.

Vai rolar o "Eclipse Galáctico": 4 dias na escuridão?

Escrito por Mhario Lincoln em 23/03/2015

NASA desmente outro falso rumor sobre um "eclipse galáctico" e quatro dias de escuridão na Terra
A notícia atribuída à NASA, que afirma que, em um período de 4 dias, haverá total escuridão na Terra, a começar pelo dia 24 de agosto, alcançou altos níveis de viralização nas últimas semanas. Os rumores, publicado em inúmeros portais da internet, fazem menção a um fenômeno galáctico que acontece a cada 26 mil anos, no qual, durante 96 horas, a Terra sofre um apagão absoluto. Chamado de “eclipse galáctico”, os mais ousados o associam a um possível fim do mundo.
É claro que nada disso é verdadeiro e, segundo fez questão de desmentir a própria NASA, trata-se de um falso boato, e que já havia circulado previamente: durante todo o mês de outubro do ano passado, a notícia que informava sobre um período de escuridão na Terra dominou os portais de notícias com o mencionado “eclipse galáctico”.
“Quando nosso Sistema Solar passa por um buraco negro na galáxia, é provável que esse buraco absorva todos os fótons e, pelo fato de o Sol estar entre ele e a Terra, é evidente que a luz do Sol não chegaria à Terra”, afirmava a notícia, coincidindo com o falso rumor de escuridão divulgado atualmente.

Fonte: economiahoy.mx
imagem: andreiuc88/Shutterstock.com

Grupo promove movimento pela criação de conselho profissional de jornalistas

Escrito por Mhario Lincoln em 21/03/2015

Eu apoio a ideia. Contatos: https://www.change.org/

 

 

O grupo de Jornalistas Pró-Conselho Profissional iniciou campanha para unir colegas da classe em torno da causa. Inicialmente, estão sendo divulgadas duas ações. A primeira promove o encontro de profissionais da categoria, enquanto a segunda visa a arrecadação de assinaturas em apoio ao movimento.

Para promover as ações e alcançar os colegas de profissão, o grupo utilizou diversos canais. Foram criados página no Facebook e blog com todas as informações sobre o movimento, destacando objetivos, agenda, história e fotos. Os organizadores também dispararam e-mails marketing e estão divulgando o link do site Change.org, espaço em que interessados podem assinar o manifesto em prol da criação do conselho nacional de jornalistas.

Enquanto a campanha acontece via web, o grupo promoverá em 28 de março o “Encontro de Jornalistas Pró-Conselho”. O evento será realizado na sede paulistana da Ordem dos Advogados do Brasil (Rua Maria Paula, 35, Centro – Auditório do 3º andar). Para participar, os interessados devem se inscrever pelo site do movimento.