A marca Pictórica de Kate

Escrito por Mhario Lincoln. Publicado em Arte e Literatura em: 29/05/2014 | Atualizado em: 29/05/2014

Compartilhe

Kate Helena Sento Sé

@zakate 

Quer saber? Vou falar...eu sou mãe, pai, filha, irmã e tia, dona de casa, artista plástica, consultora de beleza, metida à chef de cozinha. Pronto, falei! Lauro de Freitas - BA

--------------------------------------

 

O autor é jornalista sênior e editor do partilhabr.com.br:

 

(*) Mhario Lincoln

 

Fiz uma rápida análise sobre o insigth de Kate Helena Sento Sé (foto) em sua plasticidade de cores, telas e pincéis. A tendência interdisciplinar de brincar com sua apurada técnica de retratos faz dela quase um anti-ícone da realidade de uma arte que pouco se divulga hoje em dia com tantos selfies eletrônicos. 

Mas a coragem e a qualidade de suas pinturas, sob um olhar pessoal, irrestrito e intransferível, faz de sua arte algo que deve ser admirado mesmo com selfies e a contemporaneidade da era virtual.

Na verdade, as peças que vi, assinadas por Kate Helena são de arte pictórica. Aliás isso me remete imediatamente a coisas que vão além da cor na tela branca. Um trabalho pictórico bem feito vai ao encontro de uma representação da essência interior de quem está sendo retratado, do ponto de vista do artista (aí o talento) e não apenas a aparência externa.

Essa definição acima também me remete imediatamente a Aristóteles, que diz: "O objetivo da arte não é apresentar a aparência externa das coisas, senão o seu significado interno; pois isto, e não a aparência e o detalhe externos, constitui a autêntica realidade".

Destarte afirmo que não há incluída em bons artistas, uma profissão. Mas uma extensão da vida desses artistas. Claro que ninguém é uma ilha e assim, nada melhor que compor seu próprio universo desenhando ou pintando aqueles que flutuam na memória ou integram seu dia-a-dia de forma expressiva.

Pintar retratos não se prende somente à disposição de receber em troca por encomendas pré-determinadas, como alguns analistas ainda replicam essa ultrapassada forma de enxergar o artista pictórico. Claro que isso era um lugar comum durante toda a Antiguidade clássica e toda a Idade-Média, quando o artista era classificado como trabalhador manual e artesão – numa estrutura social que não reconhecia a dignidade do trabalho manual.


Hoje, mesmo com a insistência de críticos obtusos, a arte pictórica é muito mais, como, até, traduzir em cores e traços a saudade que o personagem traz ao artista. É óbvio que existem os extremos, claro.
 O retrato de Dorian Gray é um exemplo: Mostra a obsessiva relação entre o jovem retratado Dorian e seu retrato, feito pelo pintor Basil.

Há aqueles que acreditam que a arte pictórica é difícil de fazer. Claro, pelas imagens que recebo das obras de Kate Helena, vislumbro muito mais, já disse, que cabeça, tronco e membros. Vejo arte de qualidade que exprime a alma de quem se deixa retratar por essa talentosa artista. Daqui, meus parabéns.

Comentários  

0 #2 PARABENS A ARTISTA E AO CRITICO E AUTOR Mhario LincolnSabina Vassalo 24-04-2015 18:46
Cheguei ha' pouco a este ESPACO que a uma vista rapida me diz da autoria de Mhario Lincoln que conheco bem em OUTROS BELOS E INTELIGENTES ESPACOS! So' hoje aqui consegui chegar pois "circulo muito devagar"!

Gostei muito do trabalho da Artisca e gostei muito da sua sabia critica.

Permita-me que lhe deixe um Abraco de amizade e os Paarabens a autora!

sua velha amiga,

Heloisa/Zita/Sabina
Citar
0 #1 SaudaçõesJosé Henrique 05-03-2015 10:13
Olá, belas obras.

Será que somos parentes ?

Um grande abraço e tudo de bom!

José Henrique B. Sento Sé
Citar