"Gravetos de mim", J.O.Ramos

Escrito por Mhario Lincoln. Publicado em Arte e Literatura em: 09/05/2015

 
 
 
Gravetos de mim

(José de Oliveira Ramos)

 

 

 

José de Oliveira Ramos é jornalista, poeta e pesquisador. (São Luís-MA).

 

 

Vento suave varre as veredas
Acaricia galhos e beija folhas
Deixa rastros de beleza e fim
Quebrando gravetos de mim

Galhos secos de clorofila e vida
Folhas que caem atapetando chão
Cobrindo o solo e a terra viva
Renascendo gravetos de mim

Nuvens se fazem chuva e gotas
Molhando a terra ao redor
Brotando folhas e flores, enfim,
Dando vida aos gravetos de mim

Gravetos de mim, gravetos de ti
Gravetos de nós fortalecendo os nós
Numa fogueira grande que, antes,
Eram apenas galhos e gravetos de mim.

 

 

 

 

*****************************************

 

A arte de aplicar em Ações

Escrito por Mhario Lincoln. Publicado em Redes Sociais em: 21/10/2014

Eloi Moccellin

@garimpodeacoes 

Assessoria financeira de investimentos em ações e tributação atinente. Atende apenas no Brasil. É independente.

 

 

Como funciona a Dinâmica das Operações em Bolsa?

Execução

O investidor envia sua ordem de compra ou venda, se for via Internet, o investidor

estará enviando sua ordem diretamente ao sistema da Bolsa. Se através de corretores,

estes farão o contato com a Bovespa, também via eletrônica.

Liquidação

Executada a ordem de compra/venda, ocorre à liquidação física e financeira, processo

pelo qual se dá a transferência da propriedade dos títulos e o pagamento/recebimento

do montante financeiro envolvido, dentro do calendário específico estabelecido pela

Bolsa para cada mercado.

No mercado a vista, vigora o seguinte fluxo de liquidação:

D+0 - dia da operação;

D+1 - prazo para os intermediários financeiros (Corretoras) especificarem as

operações por eles executadas junto à Bolsa;

D+2 - entrega e bloqueio dos títulos para liquidação física da operação, caso ainda não

estejam na custódia da CBLC;

D+3 - liquidação física e financeira da operação.

A liquidação é realizada por empresas de compensação e liquidação de negócios, que

podem ser ligadas à Bolsa ou independentes.

A bolsa utiliza a CBLC - Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia para liquidar as

operações realizadas em seus mercados.

As Corretoras da bolsa e outras instituições financeiras são os Agentes de

Compensação da CBLC, responsáveis pela boa liquidação das operações que executam

para si ou para seus clientes.

- As operações em bolsa podem ser efetuadas nos seguintes mercados:

• A vista - no qual, compradores e vendedores estabelecem um preço para um lote de

ações a ser entregue e pago no prazo determinado, atualmente D+3;

• A termo - onde as partes fixam um preço para liquidação físico-financeira da ação em

prazo futuro determinado e;

• De opções - no qual as partes negociam o direito de comprar/vender a ação a preço e

prazo futuros determinados.

Mercado a Termo:

Com o intuito de suprir as mais variadas necessidades e objetivos, o mercado de

capitais brasileiro oferece aos aplicadores uma série de alternativas de investimento.

Uma opção não muito conhecida, mas em crescimento, é a compra e venda de ações no

mercado a termo.

Em poucas palavras, a negociação de um papel a termo consiste na compra ou venda

de ativos para liquidação futura. Dessa forma, acerta-se previamente a cotação do

produto negociado, uma determinada ação, por exemplo, com a garantia de que na

data acertada o comprador entregará o valor contratado e o vendedor o ativo em

questão.

Para realizar uma operação a termo, é necessário depositar uma garantia ou uma margem,

que, no momento inicial, corresponde à diferença entre o preço a vista e o preço a

termo do papel, acrescido de um montante para cobrir eventuais variações do ativo no

pregão seguinte. Este montante varia, mas é menor para papéis com volatilidade mais

baixa e maior liquidez. Caso o preço do ativo siga em direção contrária à esperada pelo

investidor, ele terá que aumentar o montante da margem, de forma a fornecer uma

maior garantia à operação. Vale lembrar que no mercado brasileiro é possível prestar

garantia à operação também na forma de cobertura, ou seja, depositando os papéis na

CBLC, o que dispensa o vendedor de fornecer outras garantias adicionais.

Quais as vantagens de se investir no mercado a termo? O mercado a termo oferece uma

série de vantagens, uma vez que através deste tipo de contrato os investidores podem

proteger preços de compra e venda de um ativo, além de diversificar riscos de uma

carteira de investimentos. E o mais importante: muitas vezes com poucos recursos.

Vamos supor que um investidor acredite que o preço de uma ação vá subir em um

determinado período, mas não tenha ou queira aplicar no momento uma quantia

elevada na compra do papel. Este pode fixar o preço de compra ao adquirir tais papéis

no mercado a termo, pagando apenas uma margem e obtendo lucros com a valorização

das ações.

Diversificação de riscos e alavancagem financeira:

Como os negócios no mercado a termo são realizados também mediante o depósito

de margens, com o valor total da operação podendo ser repassado apenas na data

de conclusão da mesma, a compra de contratos a termo também possibilita aos

investidores a aquisição de um número maior de papéis mediante ao uso de um

volume menor de recursos.

Ao invés de alocar todo o dinheiro disponível em apenas uma ação, o aplicador

pode investir a mesma quantia em um número maior de ativos considerados

atrativos, assumindo menores riscos, pois uma eventual queda de uma ação pode ser

compensada pela valorização das outras.

Maximizando ganhos e operações de financiamento. Dependendo do objetivo do investidor,

a venda de um ativo no mercado a termo também pode se apresentar como uma

alternativa interessante. Da mesma forma que se pode proteger o preço de compra

de uma ação, o preço de venda de um ativo pode ser determinado. Vamos supor que

um investidor já esteja satisfeito com a valorização de um determinado papel e queira

vendê-lo, mas não necessita dos recursos no momento. Este pode negociar tais ações

no mercado a termo e elevar os seus ganhos, pois serão recebidos os juros de um

período além do preço a vista de tal ação. Neste contexto, o investidor também pode

realizar uma operação de financiamento, comprando uma ação no mercado a vista e

vendendo o termo, com o objetivo de ganhar com a diferença entre os preços a vista e

a termo. A negociação de contratos a termo pode ser utilizada ainda para a obtenção

momentânea de recursos. Um investidor que possua uma carteira de ações e precise

dinheiro no curto prazo, mas não queira se desfazer de nenhuma ação pode vender a

vista e comprar a termo, operação que geraria caixa sem o desmonte de posição. Cabe

citar que existem estratégias mais sofisticadas de investimento, onde uma operação

de compra e venda de contratos a termo pode ser casada com operações nos mercados

à vista e de opções, o que vale a pena ser explorado em novo artigo.

Riscos: Se o mercado a termo apresenta diversas vantagens, é sempre importante

destacar que também existem riscos adicionais neste tipo de aplicação. Além dos

riscos já normalmente associados ao mercado de ações, o investimento em termo

traz também a questão da alavancagem. Pelo fato de o mercado a termo permitir a

aplicação de valores menores com alavancagem, muitos investidores acabam perdendo

a dimensão de qual sua exposição efetiva ao mercado. Com isso, os riscos acabam

multiplicados. Portanto, vale sempre lembrar que, mesmo com todas as vantagens

apresentadas, o mercado a termo traz riscos ainda maiores que o mercado a vista,

sendo recomendado apenas para investidores de perfil agressivo.

TEXTOS, CONTEXTOS E PRETEXTOS

Escrito por Mhario Lincoln. Publicado em Arte e Literatura em: 09/10/2014

Do Blogger no Geleia General

original do texto

Clóvis Campêlo. (Convidado do editor).

 

Dizem que o poeta João Cabral de Melo Neto, no final da vida, aborrecia-se quando vinha ao Recife por conta do número excessivo de poetas novatos a querem lhe mostrar seus textos. Como se já não lhe bastasse o séquito de puxa-sacos e falsos admiradores a querer desfrutar da sua intimidade. O poeta que voltava sempre em busca de paz e do tempo perdido (o Recife do seu tempo já lhe era um retrato pendurado na parede) não suportava os ruídos da modernidade recifenses a lhe açodar os ouvidos. Morreu, aliás, sem que nunca o deixassem em paz.
Penso nisso sempre que ouso enviar meus textos para outros poetas e escritores, críticos literários e amigos mais aguçados. Mas, para que nos serviria um texto se não fosse para ser lido e interpretado por outras almas e discernimentos? A inquietação de querer estabelecer um diálogo com o outro é legítima, do mesmo modo que também é legítima a recusa do outro em fazer qualquer leitura ou mesmo qualquer interpretação por mais superficial que seja de um texto com o qual não se identifique.
Escrever e fazer poemas não é fácil, camaradas. Pois, como dizia Mário de Andrade, há sempre uma gota de sangue em cada um deles. Ao poeta cabe escrever para expor a sua cosmovisão, para contrapor ao mundo real a sua proposta cósmica. Esse é o primeiro e, às vezes, angustiante momento. Encorpada a concepção, cabe ao poeta buscar identidades, tanto no sentido de dar autenticidade ao seu esboço quanto no sentido de compor agrupamentos.
Afinal, ao sonho solitário talvez só caiba o esquecimento. Como já disse outro poeta pernambucano, Carlos Pena Filho, é dos sonhos dos homens que se constrói o mundo. Complementando com ousadia, eu diria que é dos sonhos dos homens e da perspectiva de lucro do mercado com ele. Mas esse é um pequeno detalhe que cabe ao poeta resolver no seu íntimo e impedir que se transforme em empecilho ou transtorno para as suas pretensões de poeta.O poeta não tem o direito de apenas ser um nefelibata. Deve também domar o lado selvagem da vida.
Hoje, com o advento da internet e de outras mídias de massa temos vias bilaterais para expandir a informação. Já não somos mais passivos receptores a aguardar que nos bombardeiem em sentido único. Pode o poeta e escritor também emitir a sua mensagem. Pode optar por divulgar os seus textos apenas na grande rede, sem a necessidade de editar livros que na maioria das vezes não tem como escoar nem introduzir no mercado literário. Livros que custarão caro e que sem ter como serem distribuídos, com certeza, encalharão nas prateleiras de alguma estante doméstica, sem direito a público ou reconhecimento.
Escrever e fazer poemas não é fácil, camaradas. Ser uma referência para poetas e escritores iniciantes, também não. Que o diga o poeta João Cabral de Melo Neto. Ele tinha razão. Os mortos sempre tem razão. Viver e poetar é para quem pode!

Valéria e as Eleições 2014

Escrito por Mhario Lincoln. Publicado em Redes Sociais em: 25/06/2014

VALÉRIA FERNANDES

@valeriaqibrasil

 


Nós, 200 milhões de brasileiros, caminhando rumo as urnas para um momento decisivo para nossa nação pela escolha dos governantes que irão estabelecer,regras,normas,leis,nas nossas vidas e,nossos impostos.
A avaliação do eleitor é preciso ser de forma precisa e assertiva,na escolha do candidato,visando criteriosamente o currículo do candidato. Por exemplo:Se ele responde algum processo de improbidade administrativa,presença assídua nas sessões,principalmente em votação de projetos (Importantes e emergenciais)quantos projetos e qual a importância foram feitos durante seu mandato.Analisar tambem projetos que foram feitos em favor ou desfavor d povo,ou apenas para seus benefícios próprio.Se fazem parte de "associação criminosa" por desvio d verbas públicas,ou tráfico d influências.Um projeto que foi muito esperado aos anseios d sociedade foi a "Redução Maioridade Penal" que não foi aprovado n Congresso e no Senado,verificar nomes dos Deputados Federais e,
Senadores,que votaram contra.De olho nos candidatos que compram "VOTOS" te oferecendo quaisquer tipos d donativos.Esse deve ser banido das urnas,já denota a falta de comprometimento com o cidadão.
Candidatos que prometem projetos demagógicos e palavras mágicas.Os projetos devem ser analisados pelos eleitores,se terão fundamentos de serem executados. Será de suma importância assistirmos todos os debates, avaliando as propostas de cada candidato,e posteriormente cobrarmos. Verifique a veracidade dos "MARKETÓLOGOS" de cada candidato se são apenas propagandas enganosas. Avaliar a vida do candidato antes e depois que chegou n poder.Aqueles que chegaram pobres e ficaram milionários as nossas custas devem der "freados" das urnas.
Vejo hoje,como cidadã e formadora d opinião,a desmotivação do eleitor brasileiro,em relação ao "Cenário Político Nacional",o quanto está difícil escolhermos um bom candidato,que ponto chegamos,vamos ter de escolher o menos pior.
Mas quatro anos,se nao escolhermos o menos pior,pode ser fatal,o rumo do nosso País.
As redes serão uma ferramenta muito importante para utilizarmos para manifestar nossas opiniões e,críticas.E, observarmos os "Pretensos" candidatos que começaram aparecer nas redes,somente nessa época.


"MUDA BRASIL"

"Inquietude e descontentamento sao as primeiras necessidades do
progresso" ( Thomas Alva Edison)


VALÉRIA FERNANDES

Consultora Política

Goiânia -GO

"SEGURANÇA PÚBLICA"

Escrito por Mhario Lincoln. Publicado em Redes Sociais em: 29/05/2014

VALÉRIA FERNANDES

 

 

A inércia do poder público em relação a falta de segurança é um desalento a sociedade que já se arrasta por longas datas.


Segurança pública, saúde, educação sempre foram prioridades nas campanhas eleitorais que nunca passaram de falsos discursos e promessas milagrosas.


A falta de segurança é um conjunto de fatores que requerem soluções rápidas e eficazes. É preciso que haja planejamentos de recursos para serem executados ao menos minimizando a violência.


Artigo 6o da C.F.(Constituição Federal) diz: "Segurança é direito do cidadão e dever do estado."

É preciso mais investimentos em infraestrutura em delegacias, viaturas, armamentos e mais efetivos na polícia, possibilitando através de concursos públicos.

Que haja mais policiamento efetivamente nas fronteiras combatendo o tráfico de drogas e de armas. O C.P.(Código Penal) já se arrasta desde 1940 e precisa ser repensado e reformulado mais, de acordo com nossa atual realidade.


Leis que deveriam resguardar mais o cidadão de bem, enquanto que na maioria das vêzes, favorece o miliante. Hoje na sociedade os crimes com maiores atrocidades sao do "Menor Infrator".

Os "pseudos" menores, que são amparados pelo o E.C.A.(Estatuto da Criança e do Adolescente). Lei 8.069 d 13 de Julho de 1990. é um ordenamento jurídico que tem como objetivo e proteção integral do "Menor" e ressaltando que a Lei dá o direito do menor a votar. Mas protege, em não pagar pelos seus delitos.


Hoje a violência tem sido uma verdadeira guerra civil, vidas sendo dissipadas e nenhuma providência eficaz do poder público para coibir os crimes que assolam a sociedade.


Hoje o Brasil está no ranking entre Países mais violentos.


Mas a violência e a miséria precisam ser atacadas com a ferramenta chamada "EDUCAÇÃO". Se o poder público não investir no ensino de qualidade, fundamental e superior, continuarão o índice de analfabetismo.


A pobreza e o analfabetismo gera sempre uma polêmica, que os próprios especialistas jurídicos e psiquiatras acreditam que haja uma relação aos crimes.


Hoje o maior desafio dos 200 milhões de brasileiros é driblar a violência para continuarmos vivos.
A segurança pública no Brasil é direito d todos e responsabilidade da União, Estados e Municípios.

 


VALÉRIA FERNANDES

Consultora Política

Goiânia- GO